fbpx

Blog Pet

Voltar

CUIDADO COM A AUTOMEDICAÇÃO DO SEU PET

2019-06-03 16:38:58
Labovet
30
mar2019
automedicacao-blog

Ver seu bichinho de estimação passando mal e não entender o que está ocorrendo é uma situação angustiante e um verdadeiro pesadelo para muitos donos, que, no desejo de fazê-lo se sentir melhor, acabam tomando decisões precipitadas que colocam em risco a saúde, e até mesmo a vida, do pet.

Automedicação

A automedicação, ou medicação feita sem a prescrição de um veterinário, pode agravar o quadro de alguma doença ou até levar o animal a óbito, em muitos casos. O uso de medicamentos para humanos pode ainda agravar o problema. Por isso, caso você verifique qualquer comportamento estranho do seu pet, o ideal é encaminhá-lo sempre ao médico veterinário.

Para saber mais sobre os riscos da automedicação em pets e o porquê ela deve se evitada em qualquer hipótese, continue acompanhando nosso post!

Perigos da automedicação

As intenções dos donos podem ser a melhores, porém, o organismo de cães e gatos reage de forma indiferente ao seu propósito. Em outras palavras, a vontade de resolver o problema somada à falta de conhecimento pode, na realidade, agravar a situação e ser extremamente nocivo à saúde do seu pet.

O uso incorreto de medicamentos pode causar uma intoxicação ou ainda mascarar sintomas clínicos de doenças que podem ser graves. Os pets possuem respostas diferentes às substâncias farmacêuticas. Isso significa, por exemplo, que um remédio que pode fazer bem ao ser humano, pode prejudicar ou agravar o quadro de uma doença animal.

Cães e gatos também possuem sensibilidade e tolerância bem diferentes aos remédios. Os gatos, em geral, costumam ser mais sensíveis e apresentam grande intolerância a diversos tipos de medicamentos que podem ser utilizados em cães, por exemplo. Por isso, não tenha dúvidas: remédio só com orientação do veterinário.

 

Substâncias proibidas

Algumas substâncias podem ser fatais para cães ou gatos, por isso, caso haja a administração por acidente desses princípios, é fundamental buscar o pronto-atendimento de um veterinário.
Os analgésicos, antitérmicos e anti-inflamatórios de uso humano, que são medicamentos comumente encontrados em casa, são fatais para gatos. Da mesma maneira, diclofenaco de sódio e de potássio são mortais para os cães.

Veterinário

Se a automedicação não é uma prática recomendada em nenhuma hipótese para humanos, que dirá medicar o pet sem a orientação adequada. Não é à toa que a indústria farmacêutica pet vem se desenvolvendo tanto, com medicamentos cada vez mais avançados. Se os pets não precisassem, mesmo, de produtos especiais, esse tipo de mercado jamais teria crescido tanto.

Caso o seu cãozinho ou bichano apresente qualquer comportamento fora do normal, tais como febre, vômito ou dor de barriga, o ideal é correr para a clínica veterinária. Até sintomas como a falta de apetite devem ser objeto de preocupação dos donos.

Hoje, especialmente nos grandes centros, já existem clinicas com atendimento de emergência e 24 horas. Da mesma forma, converse sempre com seu veterinário de confiança sobre a política de atendimento em casos de emergência.

Lembre-se que prova de amor não é apenas prestar o socorro. É preciso oferecer o auxílio correto. Por isso, não saia por aí, atrás de uma farmácia, sem ao menos ouvir o que o veterinário tem a dizer sobre o quadro do seu pet, combinado?

Gostou dessas dicas? Então não deixe de conferir mais produtos de qualidade que garantem a saúde do seu filhote. Clique aqui e saiba mais!