fbpx

Blog Grandes Animais

Voltar

TIMPANISMO BOVINO: CAUSAS E TRATAMENTO

2021-10-27 12:24:46
Labovet
28
out2021
capa timpanismo

O timpanismo bovino causa muitos prejuízos em propriedades rurais, principalmente em  confinamento, devido às condições ambientais e à alimentação do animal. Antes de mais nada, precisamos entender que essa doença é uma distensão abdominal causada pelo acúmulo de gases no organismo do bovino, e pode levar à morte, se não tratada corretamente e em tempo hábil. Saiba as causas e como tratar o timpanismo bovino lendo a nossa matéria!

A doença

O timpanismo bovino, também conhecido como empanzinamento ou meteorismo ruminal, está ligado à dificuldade do animal em eliminar os gases produzidos durante a fermentação ruminal.

Essa enfermidade pode ser primária, quando ocorre a formação de conteúdo espumoso ou gasoso na indigestão, impossibilitando a saída dos gases pela eructação. Bem como ser secundária, quando existe alguma alteração física e/ou funcional que impossibilita a eructação, como por exemplo a obstrução do esôfago por corpos estranhos, caroços ou frutas.

Ambos os casos podem ser considerados agudos devido ao acúmulo dos gases. O animal também pode apresentar outros sinais, como aumento na região do abdômen pela dificuldade no processo de digestão, somado à dispneia, taquicardia, fraqueza muscular e apatia.

timpanismo bovino labovet

Logo depois da identificação dos primeiros sinais clínicos, é necessário intervenção imediata para evitar a morte do animal.

Causas do timpanismo bovino

Os animais acometidos por esse distúrbio são, geralmente, aqueles que tem uma alimentação à base de leguminosas. Isso porque esses alimentos são de difícil digestão, devido ao alto teor de fibras insolúveis.

Em animais de confinamento, a causa mais comum do timpanismo é a dieta com altas concentrações de cevada ou soja. Além disso, também é comum que animais fujam dos piquetes para plantações e acabam se alimentando em excesso.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico do timpanismo bovino deve ser realizado por meio da análise do histórico, anamnese completa, sinais clínicos, além da avaliação do ambiente de pastagem e da dieta de animais em confinamento.

O tratamento do timpanismo secundário é feito com a desobstrução do esôfago do animal, seja de forma manual ou mecânica com a utilização de sondas. Já o timpanismo primário é tratado com a administração de éster ou suspensão de silicone e metilcelulose misturada com água, com o objetivo de impedir formação de gases e espuma novamente.

O Labovet possui o Rumivet, que é uma emulsão oral à base de silicone e metilcelulose indicado para este tratamento. Para sua utilização em bovinos é recomendado 100 mL do produto puro ou diluído em 500 mL de água morna, administrado por via oral. Também pode ser utilizado por injeção direta no rúmen após a retirada do ar para impedir recidivas na formação de gases e espuma.

timpanismo bovino rumivet labovet

Para saber mais sobre os produtos Labovet, clique aqui!

Prevenção do timpanismo bovino

Nesse sentido, a melhor forma de prevenir a doença no rebanho é seguir uma dieta balanceada e de qualidade, ou seja sem excesso de grãos e com fibras. Também não é recomendada a moagem exagerada dos grãos.

A alimentação com feno de leguminosas, pastos de alfafa, trevo ou trigo deve ser introduzida de forma gradual e sem uso excessivo.

Enfim, o timpanismo bovino é uma doença que merece atenção e os cuidados necessários converse com o Médico Veterinário que lhe presta assistência para verificar a dieta de seus animais e evitar prejuízos na sua criação.

Fontes: SBA; UNIFIMES; Revista FAEF.

Aprovação técnica: Analaura Pereira – Médica Veterinária CRMV-SC 09126.