fbpx

Great Animals Blog

Back

SANITIZAÇÃO E PECUÁRIA: POR QUE INVESTIR NISSO?

2019-06-03 13:22:30
Labovet
31
May2019
sanitizacaoepecuaria-blog

Consumidores estão cada vez mais atentos à qualidade de produtos de origem animal. Para se adaptar a essas exigências e atender às necessidades do mercado, a indústria pecuária vem buscando aprimorar seus processos, utilizando produtos de alta qualidade e investindo, cada vez mais, em bem-estar animal.

Para garantir a qualidade, é necessário utilizar a sanitização, uma série de práticas que reduzem o risco da contaminação nos produtos utilizados no rebanho. Para melhorar a produtividade e atender a um mercado cada vez mais exigente, o produtor de pecuária precisa ter conhecimento e equipamentos para colocar essa medida em prática.
Quer saber como isso funciona? Então continue acompanhando o post que preparamos para te ajudar!

O que é a sanitização?

A sanitização é um conjunto de práticas somado ao uso de diversos equipamentos que visam evitar ou mesmo reduzir a contaminação de produtos utilizados para o rebanho. Rações e medicamentos sofrem com a constante ação de agentes biológicos e vetores, além de agentes químicos que podem contaminar ou mesmo inutilizar esses produtos. Além disso, os próprios animais podem sofrer com a falta de higiene, que acaba afetando na saúde e, consequentemente, na falta de qualidade do produto final da pecuária.

Um produtor que não inclui procedimentos de sanitização em sua cadeia produtiva pode sofrer grandes prejuízos, seja pela perda de produtos ou animais, seja pela perda de oportunidades no mercado.

Sanitização e mercado

Quando se trata de criação pecuária com a finalidade de consumo humano, o cuidado com a sanitização deve ser ainda maior. Por mais que o mercado externo tenha estimulado uma cultura de qualidade nos rebanhos, produtores que não investem em equipamentos e procedimentos de implementação dessa prática, cedo ou tarde, acabam sentindo os impactos negativos de uma contaminação, por exemplo.

A própria legislação pecuária costuma ser bastante rigorosa, o que significa que o produtor que não se preocupa com qualidade, não pratica a sanitização e não atende as diretrizes da legislação, corre o grande risco de sofrer multas e autuações pesadas dos órgãos fiscalizadores.

 

Se focarmos no mercado de exportação, as exigências costumam ser ainda mais rigorosas. É muito comum os produtores que lidam com o mercado externo necessitarem de certificações e comprovações de práticas de sanitização para que possam comercializar seus produtos. Por isso, quem quer estar preparado para o mercado nacional e internacional, minimamente precisa conhecer as diretrizes legais e de compliance para que possa interagir e inserir seus produtos nesses meios.

Sanitização e patógenos

Todo rebanho está sujeito à ação de vírus, bactérias e fungos. Lembre-se que a ação desses agentes é um processo natural e normal, por isso, sempre cabe ao produtor inserir medidas de controle e eliminação. A proliferação de um inimigo invisível, como uma simples bactéria, pode comprometer todo o lote de um produto. Além disso, esses agentes podem afetar a própria saúde dos animais, gerando prejuízos da dimensão da perda de um rebanho.

Além de controlar a ação de patógenos com medicamentos, as medidas de sanitização são de extrema necessidade, pois elas agem de forma preventiva e evitando que o problema ocorra, ou, muitas vezes, se agrave.

Sanitização e alimentos

Outro ponto importante diz respeito à contaminação de rações e alimentos que são utilizados.  Alimentos contaminados também possuem impactos bastante negativos para o rebanho e podem comprometer a sua qualidade, além de gerar custos ao produtor.

Manter boas condições de armazenamento, ter controle de validade e até de qualidade desses produtos é um passo importante para quem quer evitar problemas dessa natureza.

A sanitização envolve práticas simples, como rotinas de higiene e práticas de acondicionamento que demandam uma organização do produtor, mas que, certamente, geram resultados incomparavelmente maiores do que os malefícios que a sua falta pode causar. Investir em sanitização evita prejuízos e garante excelentes oportunidades de mercado, dois fatores que, por si só, já chamam o produtor para a ação.

Você já adota medidas de sanitização? Como realiza o controle para evitar a contaminação e o perecimento? Deixe seus comentários abaixo e compartilhe sua experiência.