fbpx

Blog Pet

Back

ESPOROTRICOSE EM FELINOS: CONTÁGIO E PREVENÇÃO

2021-04-27 15:31:45
Labovet
27
Apr2021
capa esporotricose

A esporotricose em felinos é uma infecção fúngica e uma zoonose que, por óbvio, acomete principalmente os gatos. Ela pode causar lesões ulceradas na pele de humanos e animais, entretanto, é uma doença que possui tratamento e prevenção. Saiba mais a seguir!

A doença

A esporotricose em felinos é uma micose subcutânea causada pelo fungo Sporothrix sp. A espécie mais encontrada no Brasil é a S. brasiliensis, embora a S. schenckii também possa ser detectada.
A doença causa nódulos firmes, de 1 a 3 cm, embaixo da pele dos felinos, além de apresentar também lesões ulceradas, secreção no nariz, orelhas e face. Em casos mais graves, a infecção pode se espalhar pelo organismo e afetar pulmões, fígado, ossos e articulações. Por isso, um dos sintomas da esporotricose nos felinos é a debilidade física.

O contágio

O fungo Sporothrix sp. vive em madeiras, cascos de árvores, espinhos de flores e se aproveita de qualquer ferida para penetrar no organismo.
Os animais infectados, principalmente os gatos, também transmitem a doença por meio de contato direto, arranhadura ou mordedura em outros animais e também nos humanos. Por isso, ao diagnosticar esporotricose em felinos, é importante usar luvas ao entrar em contato com o bichano.
A esporotricose em felinos é especialmente perigosa pois a exuberância de células fúngicas nas lesões potencializa a disseminação da doença.

Sintomas e diagnóstico da esporotricose em felinos

Os principais sintomas nos felinos são as lesões cutâneas que parecem nunca sarar, nódulos subcutâneos, secreções e prostração.
O diagnóstico só pode ser feito corretamente por um Médico Veterinário, que irá avaliar toda a situação do animal e solicitar exames. O tutor deverá relatar todo o histórico do bichano: se houve brigas, exposição ao ar livre, contato com outros animais e detritos, visita a jardins, etc. O Médico Veterinário também poderá solicitar um exame de análise das células (citologia ou biópsia) para identificar o fungo na lesão.

Tratamento

Quanto mais rápido for diagnosticada a esporotricose, melhor será o tratamento. Os medicamentos devem ser orais e locais, e o tratamento pode demorar, permanecendo até mesmo após os sintomas visíveis.

Prevenção da esporotricose em felinos

Assim como qualquer fungo, a prevenção ideal são os cuidados de higiene básicos com os animais, ambientes e humanos. Evitar que os felinos saiam de casa sem supervisão, não entrem em contato com animais contaminados, evitar a criação de muitos animais em espaços pequenos. A castração também é uma forma muito eficaz de evitar a transmissão da doença. Gatos castrados tendem a não se deslocar grandes distâncias e também não entram em brigas com outros animais, além de não acasalarem. E claro, as visitas regulares ao Médico Veterinário manterá longe a esporotricose em felinos, além de prevenir outras doenças.

Saiba mais sobre os gatos nessa outra matéria do nosso blog: MERCADO DE GATOS EM CRESCENTE ASCENSÃO.

Fontes: Petz, FioCruz, EqualisVeterinária, SeresVet.