fbpx

Blog Pet

Back

TOXOPLASMOSE: NÃO CULPE O GATO!

2021-08-10 11:33:05
Labovet
12
Aug2021
capa toxoplasmose

A toxoplasmose é uma doença infecciosa causada pelo protozoário Toxoplasma gondii, que acomete mamíferos, aves e os felídeos, que são seus únicos hospedeiros definitivos. Isso gera um grande medo em torno da transmissão da doença entre gatos e humanos. No texto a seguir desmistificamos e explicamos melhor sobre a toxoplasmose e o papel do gato.

A toxoplasmose

Os gatos eliminam oocistos infectantes do protozoário pelas fezes, que necessitam de condições de temperatura e umidade adequadas, além de cerca de três dias no ambiente, para ocorrer a esporulação dos oocistos e se tornarem infectantes. Apesar desse papel importante no ciclo de vida do protozoário, o gato é responsável por uma parcela muito baixa, praticamente inexistente, da transmissão da doença. Pois apenas acariciar ou mesmo receber uma mordida do felino não trará a doença.

Nos gatos, assim como nos humanos, os sinais clínicos são raros e vão depender do sistema imunológico, órgãos afetados e quantidade de parasita ingerida. Mas normalmente são febre intermitente, anorexia e apatia. Infelizmente sendo muito inespecíficos, é de grande importância o rápido diagnóstico, que é realizado com testes sorológicos. Outros sintomas são resultado dos órgãos afetados como pulmões, olhos, cérebro, fígado e musculatura.

Transmissão

As formas de transmissão da toxoplasmose são pela ingestão de carne mal cozida ou crua de suínos ou bovinos, também pela ingestão de cistos eliminados nas fezes dos gatos contaminados e por via transplacentária. A primeira, é mais comum em gatos pelo seu instinto predador, entretanto também pode acometer os seres humanos. Já a segunda é mais comum nos humanos, pois eles podem ingerir acidentalmente após manusear as caixas de areias ou jardins. A ingestão direta das fezes felinas contaminadas também irá ocasionar a infecção.

A via transplacentária é a mais temida pois pode desencadear hidrocefalia ou microcefalia, coriorretinite severa, calcificações cerebrais e alterações neurológicas no bebê. E nas gestantes a infecção pode ser assintomática ou similar a uma gripe (mal estar, febre, etc). Importante destacar que mulheres que possuem sorologia positiva antes da gestação, ou seja, já pegaram a doença anteriormente, geralmente não tem risco de infectar o feto. Entretanto, é recomendado que todas as mulheres grávidas façam o teste sorológico para toxoplasmose no primeiro trimestre de gestação.

Gatos que possuem acesso à rua, podem ingerir presas contaminadas. Já aqueles em sistema indoor, ou seja apenas dentro de casa, podem ser acometidos com a ingestão de carne crua ou mal cozida fornecida pelo tutor. A transmissão é a mesma: ingestão de cistos esporulados.

Prevenção e tratamento da toxoplasmose

Estratégias básicas de higiene são a melhor forma de prevenir a infecção pelo Toxoplasma gondii tanto em humanos, quanto em animais. Nas gestantes esses cuidados devem ser redobrados.

  • Evitar a ingestão de produtos de origem animal desconhecidos crus ou mal cozidos;
  • Frutas e vegetais devem ser higienizados antes de serem consumidos;
  • Utilizar luvas para atividades na areia ou terra;
  • Limpar diariamente e com o uso de luvas a caixa de areia sanitária de gatos (as gestantes devem evitar essa atividade);
  • Combater insetos como baratas e mosquitos.

O tratamento da doença deve ser recomendado por um Médico Veterinário no caso dos animais e de um Médico no caso dos humanos. Normalmente, se diagnosticada rapidamente a doença em felinos e logo iniciado o tratamento, o prognóstico é satisfatório e apresenta resultados em alguns dias.

Em pacientes imunocompetentes, a doença poderá regredir espontaneamente. Já em imunossuprimidos é necessário o uso de antibióticos. Nas grávidas, o acompanhamento médico e tratamento até o fim da gravidez é de extrema importância.

Gestantes e gatos

Mas afinal, gestantes podem ter contato com gatos? A resposta é sim! Vários estudos já mostraram que apenas encostar ou acariciar o animal não é capaz de transmitir a doença. Até mesmo ser mordido ou arranhado não oferece nenhum risco.

Os gatos tem uma rotina de auto limpeza severa, eliminando qualquer resquício de sujeira e fezes. E as gestantes devem evitar o contato com as fezes do animal em qualquer circunstância.

Entretanto, vale ressaltar que nem todos os felinos possuem o protozoário e aqueles que são portadores irão eliminar os cistos infectados apenas na primeira infecção, que pode durar até 3 semanas. Depois eles se tornam imunes ao parasita pro resto da vida.

Por fim, veja mais informações técnicas no nosso artigo: Toxoplasmose: a culpa é do gato?

Fontes: Equalis Veterinária; CES.